Temperatura entre ruas com e sem árvores pode variar 2°C

Quem nunca se sentiu melhor ao passar por uma área verde ou um parque no caminho de casa em um dia escaldante?

As arvores e áreas verdes exercem um boa influência sobre o micro clima de sua região.

Reportagem do G1.com de 12/08/08 demonstrou a diferença de temperatura entre ruas com arborização e sem:

“Tese de doutorado da USP analisou três regiões na Zona Sul da cidade.
Moradores dizem que sentem diferença do clima onde há menos árvores

Moradora das proximidades da Represa de Guarapiranga, na Zona Sul, área bem arborizada, a operadora de caixa Fernanda Marinho, de 23 anos, já havia percebido na prática a constatação da pesquisa. Fernanda trabalha na Rua Conceição de Monte Alegre, uma das áreas com pouca vegetação analisada no estudo, e sente a mudança de temperatura. “Lá (em casa) é bem mais fresquinho que aqui”, diz ela, que diz preferir o calor ao frio.

A pesquisa analisou três áreas da Zona Sul da capital com baixa, média e alta densidade de vegetação. As áreas escolhidas ficam nos bairros do Campo Belo, Moema e Brooklin. A pesquisa escolheu essas regiões por elas serem homogêneas, residenciais (com imóveis de classe média e alta), e não apresentarem diferença de altitude, relevo, entre outras variantes que podiam influenciar no clima, além da vegetação.

No caso de Fernanda, por exemplo, ela provavelmente sente ainda mais a diferença de temperatura porque, além da vegetação, a região onde mora tem maior quantidade de água, por causa da represa. As áreas analisadas não refletem o clima do bairro todo.

“A vegetação retém o raio de sol e diminui a incidência dele no asfalto. Quanto maior a copa de uma árvore, mas ela vai reter os raios solares”, explica a doutora em agronomia Giuliana Velasco, autora da tese. Segundo a pesquisadora, em áreas com pouca árvore o asfalto absorve mais o calor, o que eleva a temperatura. A vegetação também reduz os poluentes atmosféricos.”

A matéria completa pode ser lida em http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL717267-5605,00-VEGETACAO+FAZ+TEMPERATURA+EM+SP+VARIAR+ATE+GRAUS.html

O impacto dos telhados verdes nas grandes cidades

As árvores possuem papel de destaque não só pela sombra proporcionada por sua copa, mas também com a absorção da radiação solar e a transpiração do vapor de água, reduzindo a temperatura na sua região.

Em alguns países como a frança já existem leis que exigem “telhados verdes” em novas construções para contribuir com a redução de temperatura e melhora na qualidade do ar das cidades.

foto: http://www.bonde.com.br

No Brasil, em recife os telhados verdes já são lei.  A lei municipal 18.111/2015, sancionada em meados de janeiro, obriga a construção de “telhados verdes” e de sistema de reaproveitamento de água da chuva em prédios construídos a partir de janeiro de 2015. A medida é válida para construções comerciais com lajes a partir de 400 m2 e para edifícios residenciais com ao menos quatro andares.

A ideia dos telhados tem ganhado força no mundo todo como uma alternativa para o aproveitamento maior de áreas destinadas a vegetação nos grandes centros urbanos.

Segundo um estudo elaborado pela Universidade de São Paulo (USP). Ao comparar dois prédios da capital paulista, um com área verde e outro com laje de concreto, o geógrafo Humberto Catuzzo verificou que a temperatura no topo do edifício com a cobertura verde ficou até 5,3 graus Celsius (°C) mais baixa. Também aumentou em 15,7% a umidade relativa do ar.

Imaginem só o impacto que causariam telhados verdes por toda a cidade?